fbpx

Teste suas ideias utilizando um MVP e economize tempo e dinheiro

Teste suas ideias utilizando um MVP e economize tempo e dinheiro


Administrar um negócio envolve uma série de questões delicadas. Uma delas é o lançamento de um novo produto ou serviço. Afinal, existe um investimento envolvido e muitas incertezas quanto à resposta do mercado. Nesse sentido, criar um MVP é a melhor forma de testar suas ideias, minimizar os riscos e garantir mais assertividade.

Porém, muitas pessoas ainda não conhecem ou não sabem como implementar essa estratégia. Por isso, neste artigo, vamos falar sobre o assunto, mostrando as principais vantagens, os tipos e como aplicar em sua empresa. Confira!

O que é um produto mínimo viável?

MVP - Certo e errado

O produto mínimo viável, também chamado de MVP (Minimum Viable Product), é uma estratégia utilizada pelas empresas para validar uma ideia antes de realizar grandes investimentos.

Ela consiste em oferecer a versão mais básica do produto a um grupo menor de clientes. Sendo assim, é possível verificar a resposta do mercado com relação à ideia principal. À medida em que os consumidores apontam suas impressões, o produto pode ser lapidado de forma mais precisa.

Imagine que você seja dono de um restaurante que serve almoço. Porém, você sente a necessidade de aumentar as opções de pratos e considera oferecer churrasco. Entretanto, o custo de instalar uma churrasqueira é alto e você ainda não sabe se seu público realmente gostariam de ter essa opção. É aí que entra o MVP para testar sua hipótese.

Quais as vantagens do MVP?

O MVP ajuda as empresas a realizarem o lançamento de novos produtos de forma mais rápida e com o mínimo de custos possíveis. Dessa forma, ele garante uma série de vantagens, como veremos a seguir.

Validação de hipóteses

O primeiro benefício que iremos destacar é também o principal objetivo de um MVP. Portanto, ele é uma forma de dizer a seu público: “estou pensando em entregar esse produto, o que acham?”.

No caso do nosso restaurante, antes de instalar uma churrasqueira, é preciso saber se seus consumidores estão dispostos a pagar mais para ter o churrasco.

Baixo custo

O desenvolvimento de um novo produto envolve uma série de custos. Afinal, é preciso designar um equipe específica, realizar vários testes e, em alguns casos, adquirir equipamentos e contratar mão de obra especializada.

Tudo isso sem saber ao certo como o mercado reagirá. Enfim, é um investimento considerável com um alto risco envolvido. Porém, usando o MVP essas questões são minimizados. Visto que os investimentos são feitos aos poucos.

Logo, depois de saber se o seu público gosta mesmo de churrasco é que você pode começar a investir na ideia. Começando com alguns testes, para só depois de tudo validado, realizar a obra de instalação da nova churrasqueira.

Aprimoramento do produto

Por melhor que a sua ideia pareça, o mercado pode não entendê-la da mesma forma. Assim sendo, ela pode dar muito certo ou pode ser um grande fiasco. O inconveniente é que só dá para saber isso depois de apresentar aos clientes.

Então, se você quebrar todo o restaurante, passar por todo o transtorno que envolve uma obra e no final descobrir que seu público é predominantemente vegetariano, seu trabalho irá por água abaixo.

Por outro lado, criando um produto mínimo viável você realiza testes menores. Logo, cada nova versão vai sendo avaliada e aprimorada. Sendo assim, você pode começar verificando se eles gostam de carne. Depois, de quais carnes eles gostam mais e assim por diante.

Ao chegar no produto final, muita coisa que havia sido pensada no princípio pode acabar mudando. Você pode ter pensado que todos gostariam mais de picanha e acabar descobrindo que gostam mais de asinha de frango. O importante é garantir o alinhamento com a expectativa deles.

Rapidez no lançamento

O processo de criação de um novo produto ou serviço é complexo e pode ser bastante longo. Com isso, desde a concepção da ideia até que ela seja disponibilizada ao mercado, são muitos meses de trabalho, sem retorno financeiro.

No caso da churrasqueira, tem a cotação do serviço de construção e instalação, tem o tempo em obras, têm a contratação de profissionais especializados, enfim, muita coisa envolvida.

Contudo, utilizando o MVP a primeira versão leva muito menos tempo para ser liberada. Assim, a ideia pode ser lapida à medida em que o interesse por ela crescer entre os clientes. Você pode começar oferecendo poucas opções de cortes e preparar tudo em churrasqueiras portáteis, por exemplo.

Tipos de produto mínimo viável

Existem diversos tipos de MVP, e conforme a necessidade da empresa e o estágio da ideia você pode usar um diferente. Vamos explicar sobre os principais abaixo. Acompanhe.

Fumaça

No marketing digital, o MVP fumaça consiste na criação de uma landing page com as informações do produto. Nessa página, a ideia é exposta aos potenciais consumidores a fim de verificar sua aderência ao mercado.

Usando nosso caso do restaurante, esse tipo de MVP pode ser uma pesquisa entregue aos clientes. Um bom exemplo de pergunta seria: “Você gosta de churrasco?”.

Com base nas respostas será possível identificar se a ideia é viável e tem aderência do público.

Concierge

O MVP concierge faz uma abordagem mais pessoal e próxima dos clientes. Seu principal objetivo é receber feedbacks e validar as hipóteses de soluções. O ponto negativo desse modelo é que demanda bastante esforço manual. Sendo assim, ele exige mais dedicação da equipe, mas rende bons resultados.

No exemplo do restaurante, seria designar uma pessoa para ir até as mesas e conversar com as pessoas. Tentar entender delas o que estão achando do churrasco e o que elas sugerem de alterações e melhorias.

Mágico de Oz

O MVP mágico de Oz representa uma versão manual da solução, sem que o cliente tenha ciência. O intuito dessa tática é verificar implicações práticas da ideia. Essa prática é capaz de apontar possíveis gargalos e pontos de atenção no processo.

Por exemplo, o churrasco pode começar sendo feito em um pequena churrasqueira portátil. Para o cliente final, a forma de preparo pode não influenciar tanto, nesse primeiro momento. Mas, para o restaurante, vai validar o grau de dificuldade da implementação da ideia em uma escala maior.

Teste A/B

O teste A/B é um tipo de produto mínimo viável que ajuda a direcionar a solução conforme a resposta do mercado. Ou seja, são testadas mais de uma opção juntas para ver qual delas tem mais aderência.

Em nosso restaurante, você já sabe que os clientes querem churrasco, mas ainda não sabe os tipos de carne preferidos. Então, você começa oferecendo 5 opções por uma semana e, no final, avalia quais delas tiveram mais pedidos.

Assim, você saberá em qual delas investir mais para conseguir o retorno desejado.

Como criar um MVP

MVP - Certo e errado

Agora que já falamos sobre os tipos e vantagens do produto mínimo viável, vamos entender como ele pode ser criado.

Entenda qual é a dor do seu público

O primeiro passo para a criação de um MVP é encontrar algo que seu público sente falta. Por exemplo, no restaurante, você percebeu que as pessoas não estavam totalmente satisfeitas com a pouca variedade de pratos.

Dessa forma, a dor dos clientes é a falta de opções no cardápio. Em cima dela que a proposta de valor deve ser pensada.

Defina a proposta de valor

A partir do momento em que já se sabe a dor do público, é hora de propor uma solução para ela. Essa proposta deve entregar algo de valor, que tenha relevância para a clientela.

Voltando ao nosso restaurante, a sugestão pensada foi de incluir a opção de churrasco. Mas note que poderia ter sido uma variedade de outras coisas. Por exemplo, aumentar a variedade de saladas, incluir mais opções de preparos etc.

Porém, o churrasco agrega um diferencial porque ele se destaca das demais alternativas. Ele pode remeter aos clientes a sensação de estar comendo uma comida de “fim de semana”, visto que essa é uma prática bastante comum no Brasil em dias de folga. Além disso, o sabor de uma carne preparada na brasa é totalmente diferente.

Sendo assim, a proposta de valor do churrasco seria proporcionar uma opção mais prazerosa de comida aos clientes do restaurante.

Entregue o mínimo necessário

Como já dissemos ao longo deste texto, o produto mínimo viável deve ser o mais simplista possível. Portanto, defina quais são as características essenciais para a entrega do valor e comece apenas com elas.

Em nosso exemplo do churrasco, o básico é ter uma carne preparada na brasa. A estrutura utilizada para fazer essa preparação não precisa ser um equipamento eletrônico de última geração. Comece com uma churrasqueira portátil, básica e barata.

Aprimore constantemente a cada etapa

Um MVP pode ter dezenas e até centenas de versões. O mais importante é que elas sejam implementadas uma a uma. Apenas depois de testada e validada uma versão é que se pode dar início à próxima. Assim, o aprimoramento é constante e os erros e prejuízos são minimizados.

De volta à churrasqueira, primeiro pode ser oferecida apenas uma opção de carne. Então, avaliamos a resposta do público e as sugestões apresentadas. No segundo momento, acrescentamos mais duas opções e, novamente, verificamos o comportamento da clientela.

Quando a procura aumentar, aí sim podemos começar a investir na expansão da estrutura. Afinal, a ideia principal já foi testada e validada. Depois de um certo tempo de operação, é possível testar opções de carnes mais exóticas, como o salmão e o cordeiro, por exemplo.

Enfim, a criação de um produto mínimo viável é muito importante para ajudar na implantação de um novo produto ou serviço. Por meio dele, muitos problemas podem ser evitados. Além de aperfeiçoar a ideia, adaptando-a à real demanda do seu público.

E você, tem alguma ideia de um novo produto ou serviço que queira tirar do papel? Nós podemos te ajudar! Entre em contato conosco e vamos conversar?